Vazamento do 5° Relatório do IPCC: o que esperar?

Foto do Encontro de Autores-Líderes
do WG-I do IPCC 
Assim como há 3 anos, quando houve a violação dos servidores de email da University of East Anglia, dando origem ao factóide que tentaram chamar de Climategate, novamente outro factóide parece querer se gestar. Trata-se do vazamento do "Second Order Draft" do material do WG-I (Grupo de Trabalho I, dedicado ao levantamento das bases físicas das Mudanças Climáticas).

Como de praxe, a blogosfera negadora apressa-se em tentar atacar o relatório ou falseando grosseiramente a verdade ou pinçando alguns trechos e colocando-os fora de contexto. Só gosto de emitir opiniões com completo conhecimento de causa e voltarei ao tema posteriormente, em detalhes, mas obviamente resolvi colocar esta postagem para preparar o espírito de todos. Nossa comunidade sofrerá novos ataques do lobby da indústria fóssil, catapultados por indivíduos inescrupulosos, sem compromisso com o método científico, a ética e a verdade.

Estou com o relatório em mãos e já foi possível constatar numa leitura rápida que, como era de se esperar, o AR5 (5° Relatório de Avaliação) tende a reforçar (ainda é um esboço, portanto deverá sofrer alterações) as conclusões do AR4 (4° Relatório de Avaliação). O entendimento de que a contribuição antrópica é o principal fator que determina as mudanças climáticas do presente se ampliou e a atribuição de uma causa antrópica vai além das temperaturas superficiais e chega a variáveis cruciais como o conteúdo de calor oceânico e o degelo do Ártico. Afirma-se, com menor margem de incerteza, que a Irradiância Solar Total apresentou uma variabilidade muito pequena desde o advento da era industrial, tornando ainda mais remotas quaisquer chances (que já eram ínfimas) de que a atividade solar guarde  relação causal com o aquecimento global observado. Em geral, o AR5 também deverá estabelecer vinculações mais fortes entre a influência antrópica, a mudança climática fenômenos extremos ainda que, em relação ao AR4, ele tenha chegado a conclusões diferentes sobre a ocorrência de secas. O que percebi é que esta última constatação já está sendo colocada fora do contexto e que a discussão sobre o papel do Sol está sendo falsificada da forma mais grosseira que se possa imaginar nos sites dos negadores.

Enfim, posso resumir...

Como esperado, o AR5 reforça o corpo de evidências que se acumulou desde o AR4 e o TAR (3° Relatório), mostrando cada vez mais claramente que as mudanças climáticas correntes são de natureza antrópica, em função da emissão de gases de efeito estufa de vida longa, principalmente CO2 pela queima de combustíveis fósseis.

Como esperado, os negadores das mudanças climáticas, imitando os métodos desonestos que a indústria do tabaco utilizou há mais de 30 anos para evitar que a verdade científica sobre a relação entre fumo e câncer fosse aceita pela opinião pública, levando a se tomar medidas para reduzir o consumo do cigarro e salvar vidas, vão buscar uma ofensiva para enfraquecer o impacto que a publicação do AR5 provavelmente terá. Vão repetir suas mentiras à exaustão, a fim de que pareçam verdade!

O IPCC já emitiu uma posição oficial, num documento que tentarei traduzir posteriormente. Mais detalhes podem ser obtidos através deste link. Noutro momento, também mostrarei para vocês como funcionam esses painéis, inclusive falando a partir de minha própria experiência junto ao Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) e vocês entenderão porque o trabalho que nós, cientistas, fazemos é sério e confiável.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O colapso (in)evitável e o Antropoceno

A Falácia da "Mini-Era do Gelo"

Chega de desmaios por Justin Trudeau. O cara é um desastre para o planeta. (Artigo de Bill McKibben no Guardian)