2012: O ano mais quente do registro histórico nos EUA

Mapa do ranking de temperaturas em 2012 nos EUA, por
estado. A cor vermelha indica recorde absoluto. Fonte:
http://www.ncdc.noaa.gov/sotc/national/2012/13
A NOAA divulgou o balanço climático do ano de 2012 sobre os EUA (estamos ainda aguardando a divulgação de boletim semelhante para o mundo todo).

O resultado, que já era esperado, é o de que 2012 foi de fato o mais quente do registro histórico nos EUA. A figura ao lado mostra o ranking individual por estado, sendo que a cor vermelha indica um recorde absoluto de temperatura e os tons em laranja representam os locais em que a temperatura ficou "muito acima da média" (19 estados ao todo). Os números indicam a posição no ranking, sendo 118 a indicação de ano mais quente, 117, a de segundo mais quente e assim por diante. Um rápido exame permite identificar um grande número de estados em que 2012 pode não ter sido o mais quente, mas em que foi o segundo ou terceiro.

Temperatura média sobre os EUA, desde o fim do século
XIX: valores anuais (linha azul), curva suavizada (verde)
e linha de tendência indicando aquecimento de mais de
0,7°C por século.
Em 2012, a temperatura média nos EUA foi de 12,95°C. Os negadores das mudanças climáticas costumavam falar muito da década de 1930, nos EUA, que foi realmente bastante quente (embora em várias outras regiões do mundo, não). Havia inclusive o argumento de que o recorde de temperatura de 1998 (de 12,40°C) não seria significativamente maior, do ponto de vista estatístico, do que o registro de 1934 (12,29°C). E agora, que essas marcas anteriores foram pulverizadas? A figura ao lado mostra a evolução, ao longo do tempo, das temperaturas médias sobre os EUA.

Ainda mais impressionantes são outros números, que a NOAA também divulgou, originalmente neste link. Ao longo do ano, 356 recordes de temperatura máxima foram quebrados, contra somente 4 recordes de temperatura mínima. Quase 2/3 do território estadunidense tiveram seca declarada em Setembro, configurando a seca a cobrir a maior área já registrada na história dos EUA. Mais de 99 milhões de habitantes daquele país passaram pelo menos um dia com temperaturas registradas acima de 100°F (ou 37,4°C).

Os eventos extremos também não pouparam os EUA, incluindo, além das ondas de calor e da seca recorde, os furacões Sandy e Isaac, uma tempestade devastadora do tipo "Derecho" e o recorde de incêndios florestais. Estes últimos, por sinal, deixaram uma sequela pessoal. Um dos incêndios, no estado do Colorado, pôs abaixo a casa (de madeira) que costumava pertencer a meu orientador de doutorado, Bill Cotton, hoje emérito na Colorado State University. Ele não morava mais lá (a casa ficava nas montanhas, nas cercanias da cidade de Fort Collins), mas a casa guardava as boas lembranças das celebrações anuais que nosso grupo de pesquisa fazia no outono e Bill se orgulhava de ter participado ativamente de sua construção. A foto, enviada por ele em Julho deste ano, mostra o que sobrou: a chaminé de pedra e uma bandeirinha dos EUA, colocada lá pelo morador que o sucedeu... Simbólico...

Comentários

  1. Notadamente, os EUA foram CONTRA o Protocolo de Kyoto ..

    'Aqui se faz .. Aqui se paga ..'

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O colapso (in)evitável e o Antropoceno

A Falácia da "Mini-Era do Gelo"

Chega de desmaios por Justin Trudeau. O cara é um desastre para o planeta. (Artigo de Bill McKibben no Guardian)