Obscenidade


O Dicionário Aulete é que nos ensina: 

(obs.ce.ni.da.de)
sf.
1. Qualidade de obsceno, do que é considerado grosseiro e vulgar, esp. em matéria de sexo; INDECÊNCIA
2. Ação, gesto, imagem, objeto, palavra ou pensamento obsceno: "Atrás deles uma mulata... de mãos nas cadeiras, ria-se, tratando-os com obscenidades familiares." (Xavier Marques, O feiticeiro))
3. Caráter do que causa indignação pela falta de decência ou decoro; caráter do que é chocante: Essa roubalheira do dinheiro público é uma obscenidade
[F.: Do lat. obscenitas]

Este navio acima se chama Ob River. Tem 288 metros de comprimento por 44 de largura. São quase 100 mil toneladas de metal para transporte de combustível fóssil (As letras gigantescas LNG são abreviatura de Gás Natural Liquefeito). 


O que há de especialmente obsceno nesse navio, porém, não é o seu tamanho apenas. É o fato de que ele é o primeiro navio-tanque a transportar combustíveis fósseis através do Ártico. Ele atravessará o Oceano Ártico para levar gás liquefeito da Noruega para o Japão, acompanhado de um navio quebra-gelo russo. Merecia ser rebatizado de "Ob Sceno".

Levar gás entre esse dois países, a princípio, se tratava de uma operação bem mais complicada... Pelo mar, só seria possível seguindo todo o Atlântico Sul, contornando a África e seguindo de volta ao Norte, um senhor "Caminho das Índias". Comparem, abaixo, a diferença entre duas rotas (que tracei grosseiramente em vermelho, usando a ferramenta Google Earth), uma por um Oceano Ártico nu, sem gelo (acima). Outro, a rota alternativa, com mais do triplo da distância tendo de ser percorrida (abaixo). O degelo do Ártico, produto do aquecimento global, está facilitando a vida da própria indústria de combustíveis fósseis. 

Na verdade, a viagem do Ob Sceno é, perdoem-me a metáfora, uma ponta do iceberg. O Serviço Geológico Americano estima que há 90 bilhões de barris de petróleo no Ártico, sendo que boa parte das bacias não é explorada em função das impostas pelo gelo marinho no que diz respeito a todas as etapas do processo, incluindo o transporte. Shell, que quis iniciar suas atividades na região este ano, Exxon, e outras, estão de olho nessa nova fronteira do óleo. Uma ganância indecente e obscena, pois sabe-se que a estabilidade climática depende de que a maior parte dos combustíveis fósseis permaneça intocado, incluindo o pré-sal brasileiro, o betume da América do Norte e o petróleo sob o Oceano Ártico.

Em declaração à BBC, o diretor comercial da empresa tratou tudo cinicamente, como se fosse um cruzeiro: "é uma aventura extraordinariamente interessante", com direito a uma referência ridícula sobre a tripulação avistar ursos polares pelo caminho. A trajetória obscena do Ob River pode ser acompanhada online por este link. Sair da trajetória a que estamos sendo condenados a seguir pelo aventureirismo do capital e sua matriz energética fóssil, esta é nossa tarefa premente!

Comentários

  1. Uma aventura com direito a ursos polares? Se eles querem vê-los outras vezes, sugiro que seja a bordo de outro tipo de embarcação...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O colapso (in)evitável e o Antropoceno

A Falácia da "Mini-Era do Gelo"

Chega de desmaios por Justin Trudeau. O cara é um desastre para o planeta. (Artigo de Bill McKibben no Guardian)