quinta-feira, 30 de julho de 2015

Recordes de Temperatura em 2015: Moedas Improváveis

A probabilidade de um lançamento de moeda resultar em "cara"
ou "coroa" é de 50% para cada lado. Mas no que diz respeito ao
clima, todas as nossas apostas estão inteiramente erradas.
Nada menos que 145 estações de medição de temperatura tiveram recordes de temperatura máxima em 2015. Somente 11 tiveram recordes de mínima. É o que têm mostrado os últimos dados de extremos.

Em alguns casos, esses recordes de temperatura foram recordes nacionais. Os países que tiveram novos máximos absolutos de temperatura em 2015 foram: Alemanha (40,3°C em Kiztingen), Gana (43,1°C em Navrongo), Guiné Equatorial (35,5°C em Bata), Suíça (39,7°C em Genebra) e Venezuela (43,6°C em Coro). E como ainda não concluímos o verão do Hemisfério Norte, essa lista ainda pode se ampliar. Até porque, como "bola da vez", deve ser o Iraque que irá enfrentar uma onda de calor com possibilidade de superação de recordes (como o de 51°C de maior temperatura já registrada em Bagdad).


Por que sabemos que essa é uma evidência forte do aquecimento global? Cálculo de probabilidades. Coisa simples. Se você lançar uma moeda 156 vezes, não necessariamente você vai obter 78 caras e 78 coroas, mas é quase certo que seu resultado não vai diferir muito disso. Podem ser 81 caras e 75 coroas, ou 72 caras e 84 coroas, ou ainda 79 caras e 77 coroas, etc. Mas você deve imaginar o quão improvável é encontrar 145 caras e 11 coroas... Se o clima não estivesse mudando, a probabilidade de ocorrências de recorde de mínima e de máxima seria a mesma.

Na verdade, a chance de termos por obra do acaso 145 recordes de temperatura máxima (ou mais) e só 11 de temperatura mínima (ou menos) num universo de 156 marcas é impressionantemente pequena. É de uma em cada 3.634.063.264.014.000.000.000.000.000.000 ou uma em mais de 3,6 nonilhões! Para se ter uma ideia, a chance de, com apenas 6 números marcados, se acertar a mega-sena é de uma em 50.063.860 e de, com 5 números marcados, se acertar a quina, é de uma em 24.040.016. Ganhar 3 vezes seguidas a mega-sena e a quina, sempre com o bilhete mais barato é ainda menos provável (uma chance em 3.016.530.677.560.820.000.000.000.000.000) do que esses recordes de temperatura serem por "acidente".

Estamos, no mínimo, "halfway" (na metade) nessa "highway".
Mas é óbvio, não há como ser obra do acaso. Só é possível porque o clima já está mudando, já mudou em larga medida! Está aquecendo e alterando completamente as probabilidades de eventos extremos, tornando ondas de calor potencialmente mortíferas, como as que assolaram recentemente a Índia e o Paquistão, incêndios florestais como os verificados no Alaska e recordes gerais de temperatura máxima muitíssimo mais prováveis. Está aquecendo e pode encerrar este ano já um grau acima da média da temperatura pré-industrial, o que alguns já chamam de "a meio caminho do inferno".

Mas para dizer isto, estão considerando que o portão do inferno é um aquecimento de 2°C em relação ao período pré-industrial. Eu tenho fortes motivos para acreditar que a entrada do inferno é um tanto antes...

Um comentário:

  1. Alexandre seu blog é fantaástico, gostaria de perguntar algo se puder responder... Já ouviu falar sobre o cientista do clima Guy Macpherson ele é um cientista ou um charlatão? Obrigado

    ResponderExcluir

A resposta, meu amigo, está soprando ao vento...

Irma, chegando a Cuba. Imagen da NASA. "Quantas vezes um homem deve olhar para cima antes de conseguir ver o céu? Sim, e quantos ...

Mais populares este mês